terça-feira, 29 de março de 2011

WTCC 2011: Chevrolet Cruze domina as pistas de Curitiba

Enquanto a GM testa o Cruze brasileiro, para substituir nosso atual Vectra, o modelo dominou as pistas na etapa do WTCC em Curitiba. 

Chevrolet Cruze dominou as primeiras posições do grid
Primeira bateria
Robert Huff largou na pole e venceu a primeira etapa do WTCC, em Curitiba. Com bastante tranquilidade, Huff só precisou manter sua posição sem muitas ameaças, para vencer. A única ameaça foi do companheiro de equipe, Yvan Muller, que tentou a ultrapassagem, porém sem sucesso.
Largada
No pelotão intermediário, disputas a todo momento
BMW não corre mais com equipe oficial
Mehdi Bennani e Franz Engstler
Volvo C30 estreou na categoria.
Carros andaram junto toda a prova.

Yvan é o atual campeão do WTCC e terminou a prova na segunda posição. Completou o grid Cacá Bueno, o que tornou o Chevrolet Cruze o grande vencedor da rodada. A superioridade pode ter ocorrido pela diferença de motorização, já que o Cruze está equipado com o novo motor 1.6l turbo, que atende ao novo regulamento. Os demais competiram com motores da temporada passada.

No Seat, Gabriele Tarquini
S de alta com carros andando forte
Parecem andar sob trilhos.
Disputa entre a mesma marca.
BMW ainda corre com o motor do ano passado.

Resultado da primeira bateria:
01° - Robert Huff - Chevrolet
02° - Yvan Muller - Chevrolet
03° - Cacá Bueno - Chevrolet
04° - Tom Coronel - BMW
05° - Kristian Poulsen - BMW
06° - Alain Menu - Chevrolet
07° - Gabriele Tarquini - Seat
08° - Michel Nykjaer - BMW
09° - Franz Engstler - BMW
10° - Mehdi Bennani - BMW
11° - Tiago Monteiro - Seat
12° - Robert Dahlgren - Volvo
13° - Pepe Oriola - Seat
14° - Javier Villa - BMW
15° - Fredy Barth - Seat
16° - Marchy Lee - BMW
17° - Aleksei Dudukalo - Seat
18° - Yukinori Taniguchi - Chevrolet
19° - Fabio Fabiani - BMW
20° - Darryl O'Young - Chevrolet
Luciano Ducci, Beto Richa e Cacá Bueno, no pódium
Cacá comemora o terceiro lugar
Pódium da primeira bateria.

Segunda bateria
Em primeiro, Alain Menu

A segunda bateria tem o grid invertido. Os 10 melhores colocados nos treinos classificatórios tem a posição invertida na segunda bateria. Com isto, Alain Menu, que tinha largado em décimo na primeira prova, venceu a etapa, com Tom Coronel em segundo e Yvan Muller em terceiro, garantindo a hegemonia da Chevrolet na prova de Curitiba.
Líderes andaram bem juntos na segunda bateria

Largando na pole, Alain Menu perdeu posições após uma largada ruim, porém com a superioridade do equipamento, foi buscar a liderança novamente, obtendo êxito.
Os Chevrolet Cruze, com motor 1.6T.
Alguns Seat andam com motor turbo diesel
Chevrolet Lacetti ainda sobrevive nas equipes independentes
Curva do pinheirinho era um dos pontos de tentativa de ultrapassagem
Aleksei Dudukalo e Yukinori Taniguchi
Darryl O'Young e Franz Engstler
Roda do C30 desprendendo do chão.
O estreante C30
Chevrolet Lacetti e C30
Os líderes.
A BMW de Tom Coronel mistutada aos Cruze
Passadas algumas voltas, os pilotos continuavam juntos.
Franz Engstler
Momento em que Tom Coronel tenta assumir a liderança, mas sem êxito.

Resultado da segunda bateria:
01° - Alain Menu - Chevrolet
02° - Tom Coronel - BMW
03° - Yvan Muller - Chevrolet
04° - Robert Huff - Chevrolet
05° - Cacá Bueno - Chevrolet
06° - Gabriele Tarquini - Seat
07° - Tiago Monteiro - Seat
08° - Javier Villa - BMW
09° - Franz Engstler - BMW
10° - Pepe Oriola - Seat
11° - Darryl O'Young - Chevrolet
12° - Aleksei Dudukalo - Seat
13° - Robert Dahlgren - Volvo
14° - Kristian Poulsen - BMW
15° - Yukinori Taniguchi - Chevrolet
16° - Marchy Lee - BMW
17° - Fredy Barth - Seat
18° - Fabio Fabiani - BMW
19° - Michel Nykjaer - BMW
20° - Mehdi Bennani - BMW
Pódium
Comemoração ao fim da etapa
Alain Menu lavando Tom Coronel com champagne.

A segunda rodada dupla do WTCC será no dia 24 de abril, em Zolder, na Bélgica.

1 comente:

  1. A WTCC é uma otima categoria, tem muita disputa, o esquema de 2 provas, funciona, mas se continuar desse jeito que está.
    Sem muita divulgação em outros continentes, sendo que so tem uma transmissão oficial, que transmite a temporada toda so na europa, maioria dos carros desatualizados, com motores do ano passado, tornando os chevrolet, os "RED BULLs" da WTCC, muitos dos grandes pilotos, como o zanardi, priaux, farfus, sairam da categoria.

    A cada ano, a WTCC leva um golpe. desse jeito, não vai demorar muito para que ela acabe.
    Espero que isso não aconteça, pois sou muito fã dessa categoria.

    Otima matéria Acir.

    Abraço

    ResponderExcluir

Comentários com fins publicitários devem ser enviados para o nosso e-mail de contato.

Google+ Followers