segunda-feira, 24 de maio de 2010

Rally Universitário FIAT - Saiba como é participar do evento

Participar de um Rally de Regularidade oficial não é tão distante, difícil ou caro, como podem imaginar. O Rally Universitário Fiat é uma boa porta de entrada para o mundo da competição à motor. A equipe do Curitiba Racing participou da etapa de Curitiba e traz agora relatos de outros participantes e de nós mesmos. Não é preciso nem mesmo ter um carro muito novo, 4x4 ou com algum recurso específico. Este foi o caso da equipe "Fusquinha Branco" composta por Lucas Pysklyvicz de Souza / Raul Affonso Schubert Neto / Juliana Hoy da Silveira, que competiram, obviamente, com um Fusca 1994, que pertencia ao avô do piloto. O carro foi escolhido pela aptidão para andar em estradas ruins e também pelo fato de que ele estava parado, desde que o avô de Lucas sofreu um derrame.
A equipe reunida com o Fusca 123

Pneus lameiros no Fusca

A equipe participou pela primeira vez em um Rally e gostou muito da experiência. O carro, que recebeu até pneus "lameiros" teve um pequeno problema no carburador, mas foi bem até o fim da prova, aonde chegaram na 53º posição, com 8312 pontos perdidos.

Esta penalização foi em grande parte devido a um erro por 4 minutos, logo detectado e recuperado. Ajudou e os tranquilizou, conhecer alguns dos trechos por onde o Rally passou. Se tudo der certo, a equipe pretende colocar o Fusca na estrada e participar da prova de Blumenau - SC
O Fusca, sob outro ângulo.

A presença feminina foi grande na etapa. Muitas equipes eram inteiramente compostas por mulheres, como a Tequila Baby, formada por Michelle Fernanda Fast / Caroline de Freitas / Rhayane Geisler.
O trio customizando as camisetas.

E fazendo pose para o Curitiba Racing.

Elas tiveram um contratempo e acabaram saido do percurso, o que as deixaram apenas na 122º colocação, com 424960 pontos perdidos. Mas não podem desanimar, pois o importante foi dar o passo inicial.

Outra equipe feminina, neste caso a melhor colocada da categoria (Feminina) no Rally foi a GMC, composta por Claudia Alves Cardoso / Gislaine Michelle de Oliveira, que terminaram em 26º no geral, com 3249 pontos perdidos.
Claudia Alves Cardoso / Gislaine Michelle de Oliveira e o Celta da equipe

Elas já tinham participado no último ano, da etapa de Curitiba. Com a experiência, puderam comparar com a edição do ano passado, à qual o percurso foi mais fácil em relação à este. O carro, um Celta, foi bem, mas enroscou em algumas pedras soltas, devido à altura não muito grande do modelo e a condição ruim de alguns trechos.

Com a experiência anterior, a dupla teve uma boa sintonia, o que facilitou no cumprimento dos tempos estipulados na planilha, terminando a prova sem erro algum.

Uma situação engraçada, relatada pela dupla, foi a de um morador da região, que no momento em que elas estavam no ponto neutro, esperando o tempo para largar novamente, parou ao lado delas e queria saber o que era aquela movimentação. Elas tiveram que sair antes de terminar de explicar que era um Rally e como funcionava, devido ao tempo.

Segundo as amigas, subirem no podium foi a grande surpresa. Elas imaginavam ter ido bem, mas quase não acreditaram quando ouviram seus nomes chamados na cerimônia de premiação.

O "Red Label", rebaixado, mas no espírito do Rally, com rodas brancas.

O piloto Carlos Antonello e o Celta 2007

O carro passou bem pela prova, apesar de ter enroscando mais que os outros.

A equipe Red Label S Team, formado por Carlos Antonello / Danielle Kmiec, competiram com um Celta 2007. Também sem nenhuma experiência em competição, ele ficou sabendo da prova através dos carros que competiram no último ano e desfilaram pela cidade com os adesivos.

Carlos gostou do seu desempenho como piloto e aprovou o trabalho de sua navegadora e namorada Danielle. Mesmo em alguns momentos, em que ele achou que estavam errados, optou por acatar as ordens da navegadora e acertou, pois ela, muito atenta, não fez confusão em nenhum momento.

A dupla achou a competição incrível, tanto pela tensão da competição, como pelas belas paisagens percorridas. O carro, um Celta 2007 apelidadeo de Red Label, é rebaixado e legalizado, com apenas 0,5m de altura da base do farol até o chão, sofreu um pouco com o percurso, mas chegou bem ao final, exceto pelo protetor de cárter, que ficou bem avariado.

A falta de sorte do casal se deu apenas 5 minutos após a largada, já em Campo Largo. O cronômetro da dupla, único, parou de funcionar. Sem saber o que fazer, pararam rapidamente e tomaram uma decisão rápida, a de usar o relógio de pulso do piloto, que tinha sido acertado com o relógio oficial da prova. A navegadora não gostou da idéia, devido à dificuldade de leitura para esta aplicação. Logo os atrasos foram recuperados, mas sem exceder o limite de velocidade estipulado. Infelizmente, devido a pequena diferença do cronômetro para o relógio, a dupla passou de 15s a 45s adiantados em todos os PCs, fazendo com que a pontuação perdida ficasse em 35776 pontos, jogando a dupla para o 82º lugar.

Carlos e Danielle ficaram surpresos com a organização da prova e gostaram tanto do visual do carro com os adesivos que estão ainda desfilando com os adesivos da competição. Eles até cogitam ir para Blumenau ainda este ano, participar de mais uma etapa.

A equipe Lanterna dos Afogados, chegou em 41º com uma Parati 1.8

A equipe é formada por Wagner Gilberto de Carvalho / Carlos Eduardo. Completaram o rally  na 41º posição, com 5139 pontos perdidos

Equipe Curitiba Racing 4, formada por Carlos Henrique Variani / Karinna Lucena Esteves

A equipe "patrocinada" pelo Curitiba Racing teve um ótimo desempenho, apesar da inexperiência em competições. A dupla, que competiu com um Fiesta Sedan 2008 e tinha como expectativa, "fazer um tranquilo passeio por estradas de terra". Porém se surpreenderam, pois em 3:28min de prova não tiveram tempo para conversar nada além de dados importantes para o Rally.

Eles ficaram impressionados e felizes com a boa colocação na competição. Chegaram em 38º lugar, com 4618 pontos perdidos.

Um fato engraçado foi o que a navegadora fez a inscrição da equipe no rally e só foi avisar o namorado e piloto que iam competir, apenas no dia seguinte. A equipe sentiu dificuldade na interpretação da planilha, pois não conseguiram tempo para participar da aula de navegação oferecida pela organização da prova. Apesar disto, conseguiram chegar bem e já pensam na edição do ano que vem.
Equipe Balla de Prata Team - Thiago Balla / Liege Gorski

Thiago e Liege chegando ao destino e recebendo a medalha

O Fox 2008, também "patrocinado" pelo Curitiba Racing

A equipe Balla de Prata Team já chegou ao Rally com o objetivo de se divertir e conseguiram, segundo conta o piloto, Thiago Balla. Ele, que competiu com sua namorada, Liege, como navegadora completou a prova em 97º lugar, com 83442 pontos perdidos. A dupla também não tinha experiência em rally e acabaram cometendo alguns erros, saido um pouco da planilha, o que custaram muitos pontos na classificação final. Porém chegaram ao fim com o objetivo cumprido: o de se divertir!
Equipe oficial do site: Camilo Fontana e Acir André

Claro que a equipe do site não poderia deixar passar a oportunidade e experimentar também uma competição oficial. Nenhum dos dois tinha competido em um rally anteriormente, apesar de viver no mundo do automobilismo há muitos anos.

Completamos a prova na 57º colocação, com 9407 pontos perdidos. Cometemos um erro de navegação, passando um ponto neutro batido já no início da prova, perdendo cerca de 5000 pontos devido ao fato de passar adiantado em alguns PCs.

Mesmo assim, conseguimos zerar dois PCs, que significa passar no milésimo exato estipulado pela organização para o trecho, o que é difícil de conseguir, ainda mais para uma dupla sem retrospecto em competição.

Achamos o percurso bem elaborado e com uma paisagem incrível. Pena que não deu tempo de apreciá-la como deveríamos, pois não tivemos tempo para conversar quase nada além das informações de navegação.
Os trechos foram elaborados com algumas estradas traiçoeiras, justamente para pegar os mais desatentos, que acabaram errando e sendo penalizados.

O modelo escolhido para a competição se comportou muito bem. O Peugeot tem o DNA do Rally e foi um bom companheiro.

Mesmo sendo a primeira competição oficial da equipe, tinhamos o objetivo de ficar entre os 50 primeiros. Se não fosse o erro, com certeza teríamos cumprido nosso objetivo.
Equipe Curitiba Racing na espera para a largada.


Neste ponto, a competição realmente inicia. Do Parque Barigui até Campo Largo, contou apenas como deslocamento.
Equipe Curitiba Racing
Esta era a paisagem que o Rally proporcionou durante boa parte do trajeto

Este foi o ponto neutro com o maior intervalo, propositalmente posicionado no centro de Campo Magro, em um local com banheiros, alimentação e posto de gasolina.
O piloto, Camilo Fontana

Tivemos a participação da Zequinha Joice Pereira, que ficou encarregada de auxiliar a navegação e também registrar algumas fotos desta reportagem.




Ficou curioso para participar? É muito simples. O Rally Universitário Fiat aceita duplas em que pelo menos um participante seja universitário. Caso seja inscrito um zequinha, este obrigatoriamente deve ser universitário também. Qualquer carro, desde que fabricado após 1990 pode participar. A exceção de idade não existe para veículos da marca Fiat, que podem participar sem restrições. As vagas são limitadas geralmente em 150, portanto não espere para fazer a inscrição e já faça quando abrir. Na etapa de Curitiba, metade delas foram preenchidas já no primeiro dia. Cada participante deve doar 4 latas de leite em pó, como valor de inscrição. Elas são entregues no sábado que antecede a prova. No ato da inscrição, a equipe recebe camisetas e adesivos para a personalização obrigatória dos carros. Após realizada a adesivação, é necessário que o carro passe por uma vistoria, para verificação de itens básicos de segurança.

Não tem nem idéia do que é uma planilha de navegação? A organização oferece um treinamento no sábado, com dicas importantíssimas, que ajudam e muito na hora da prova.

No dia da prova, é necessário chegar com antecedência, para retirar a planilha de navegação, o kit de lanche e participar do briefing. Venha para o rally com o tanque do carro completo, pois o percurso é de cerca de 120km e não existem pontos de abastecimento fáceis no trajeto.

Viu como é simples? Não deixe de participar da próxima etapa na cidade, que acontece apenas no ano que vem.

2 comente:

  1. tezao rapaziada!
    curti as materias!
    Belo post!
    abrsss

    ResponderExcluir
  2. Mew....parabéns pela matéria..e parabéns pelas colocaçoes...to muito interessado em participar agora..hheheh..
    abraçoss

    ResponderExcluir

Comentários com fins publicitários devem ser enviados para o nosso e-mail de contato.

Google+ Followers