quinta-feira, 17 de julho de 2014

E se seu primeiro carro for um usado?

Embora aquele característico cheirinho de carro novo seja o sonho de muita gente, é difícil concretizá-lo de entrada. Na hora de comprar seu primeiro carro, investir num usado pode ser uma excelente opção.

Foto: Flickr Jorge de la Llama.
Os carros usados não costumam fazer parte dos sonhos de consumo. No entanto, se estiverem bem conservados, eles apresentam muitas vantagens para o novo proprietário.

A primeira vantagem é o preço. De acordo com a tabela Fipe, um Gol 1.0 Trend/Power 8V 2p, de 2003, da Volkswagen, custa em média R$ 14.084,00. Já um Gol 1.0 Mi Total Flex 8V 2p novo, de 2014, custa R$ 26.497,00.
Foto: Flickr order_242
Vale lembrar que um carro zero perde valor no momento em que sai da concessionária. De acordo com a tabela de depreciação da Agência AutoInforme/Molicar, um Gol perderá 9,8 por cento do seu valor original após um ano de uso. Essa porcentagem varia de acordo com o modelo.

Além disso, a proliferação de casos de recall nos últimos anos leva a pensar que a garantia de fábrica não é lá tão confiável.

Na busca por seu novo usado, fique atento. Peça ao atual proprietário para dar uma voltinha antes de decidir comprá-lo. Preste atenção a ruídos estranhos, por exemplo, ao pisar no freio: isso pode indicar que as pastilhas estão gastas ou que é necessário trocar os discos. Verifique também se você consegue passar a marcha facilmente a todas as posições para testar a caixa de câmbio. Ligue todas as luzes, o ar condicionado, abra e feche os vidros, verifique as travas de cada uma das portas: cada detalhe é importante.

Mesmo que você entenda um pouco do assunto, é uma boa ideia ir acompanhado de um mecânico para avaliar o estado geral do carro. Você pode até saber verificar o nível do óleo, mas só um mecânico poderá analisar com precisão o funcionamento do motor ou do radiador. Lembre-se que uma quilometragem baixa não necessariamente indica que o dono anterior tenha sido cuidadoso com o carro: é fundamental descobrir se a manutenção foi realizada de modo periódico e adequado. 
Foto: Flickr Luke Jones
Itens danificados podem ser um trunfo no momento de negociar o preço, mas cuidado para não se meter numa roubada: se as peças forem muito difíceis de conseguir ou caras demais, você pode estar comprando um problema. Para alguns modelos, já não há peças de reposição. Um modelo que tenha muita presença no mercado já tem meio caminho andado para o sucesso.

Ao avaliar a compra, lembre-se de também levar em conta os gastos que o carro implicará. Além do seguro obrigatório, do IPVA, do licenciamento e do combustível, talvez você precise considerar gastos de estacionamento e de um seguro particular. Consulte o site do Detran e do seguro DPVAT para obter mais informações.

Boa sorte na sua escolha e bem-vindo ao mundo sobre quatro rodas!
Foto: Flickr Giuliano Maiolini

0 comente:

Postar um comentário

Comentários com fins publicitários devem ser enviados para o nosso e-mail de contato.

Google+ Followers