sábado, 18 de dezembro de 2010

As novas regras para financiamento de Automóveis

As regras mudaram, mas o que acontece na prática?

Agora para retirar um carro da loja, você precisa dar uma entrada que varia de acordo com o número de parcelas contratadas. Não tem muita diferença, antes os bancos pediam entradas para todos os financiamentos, como medida de filtrar clientes.

Agora aparados na nova legislação, os financiamentos em até 24 vezes não precisam de entrada, e essa modalidade gera menor ônus ao banco, que tem que depositar uma quantia de garantia desse empréstimo no Banco Central 50% maior em financiamentos de longo prazo ou de garantias insuficientes. Assim, é presumido que esses financiamentos de maior risco tenham menos respostas positivas na solicitação de crédito por parte do banco. Aquela antiga recomendação de bom senso, agora é ainda mais válida: Junte a entrada para diminuir prazos e juros. As novas regras privilegiam grandes entradas e prazos curtos, deixando as parcelas mais caras para quem não segue esse padrão.

A medida vem em boa hora para o mercado de usados, castigados pelas massivas campanhas de vendas de carros novos, que sofreram forte desvalorização com a facilidade de compra do zero km. Os bancos como sempre não pedem nada, uma vez que os juros aumentaram com o prazo (antes diminuía) e as pessoas que financiam geralmente buscam prazos entre 36 e 60 vezes.

Para os que não conseguiram juntar a entrada mínima necessária, há uma possibilidade de redirecionamento de dinheiro, as parcelas sobem para que na diferença de valores da parcela possa ser criada a entrada regulamentar.

Exemplo:
Financiando 20 mil Reais em um carro 2005 com entrada "Enquadrada" as parcelas ficam em 36x811, enquanto com entrada "Inferior" o valor das parcelas é de R$ 867 para o mesmo prazo. Uma diferença de R$56, que somadas no prazo geram mais de dois mil reais para a entrada. Isso sempre existiu, com acréscimo no retorno para a mesma finalidade.


Ao perceber a diferença de valores, as pessoas talvez prefiram um carro mais barato ou adiar a compra para acumular a entrada necessária.

As tabelas de financiamento atuais seguem o seguinte padrão de entrada "Enquadrada" e "Inferior"

Com entrada Enquadrada:
12x - Sem Entrada (0 km-1991)
24x - Sem Entrada (0 km-1991)
36x - 20% de Entrada (2010-1993)
48x - 30% de Entrada (2010-1997)
60x - 40% de Entrada (2010-2000)

Com entrada Inferior:
12x - Sem Entrada (0km-1995)
24x - Sem entrada (0km-1995)
36x - Menos de 20% (2010-1993)
48x - Menos de 30% (2010-1997)
60x - Menos de 40% (2010-2000)

Então, vemos que o prazo ficou em função da entrada, o que é contraditório, pois quem dá mais entrada, tem mais prazo para financiar, porém os juros são maiores. E justamente quem pode dar mais entrada, prefere financiar em menos tempo, e também busca pagar menos juros. Mais um motivo para reduzir os prazos.

Comparando o mesmo valor entre com entrada e sem para um carro de 20 mil reais num modelo 2005, já inclusas as demais taxas do banco:

Exemplos: Se o carro custa 20 mil e você:
Não tem entrada
24x R$ 1105
36x R$ 865
48x R$ 720
60x RS 637

Tem Entrada
24x R$ 1105
36x R$ 810
48x R$ 665
60x RS 580

Diferenças
24x R$ 0 (igual, pois não requer entrada)
36x R$ 55 (em 36 meses 1980)
48x R$ 55 (em 48 meses 2640)
60x RS 57 (em 60 meses 3420)

Valores são exemplos e as tabelas estão sujeitas a alteração sem aviso prévio.

Outro fator importante a ser observado é o ano do carro a ser financiado, os juros aumentam significativamente para carros mais antigos, de forma que a diferença de parcela pode se fazer pagar um carro muito mais novo.

Exemplo
Carro ano 2000 no valor de R$12.000, ao financiar 10 mil reais temos uma dívida de 36x R$448
Caso junte a entrada necessária, é possível financiar o mesmo valor em um carro 2009 por 36x R$420

Ou ainda, aumentar o credito num modelo mais novo mantendo a parcela, por exemplo, num carro 2008 o crédito poderia ser de 10.800 Reais.

Lembrando que para Financiar um carro é necessário:
Registro Geral (RG)
Cadastro de Pessoa Física (CPF)
Comprovação de endereço por faturas de consumo (Agua, Luz ou Telefone) em nome ou nome de pai/mãe.
Emprego há mais de um ano e rendimento de 3x o valor da parcela pretendida, comprovado.
Não ter restrições SPC/SERASA.


Consulte seu financiamento com a Fontana Veiculos

0 comente:

Postar um comentário

Comentários com fins publicitários devem ser enviados para o nosso e-mail de contato.

Google+ Followers